BlogCanadá

Parada de Portugal pode beneficiar do Cultural Festivals Funding Program

Parada de Portugal pode beneficiar-toronto-mileniostadium
Créditos: DR.

A comunidade portuguesa que reside em Toronto participou terça-feira (25) numa sessão de consulta pública do orçamento que John Tory propõe para 2022. Ao longo de uma hora e meia o presidente da Câmara Municipal de Toronto, John Tory e a vice-presidente luso-canadiana, Ana Bailão, tiveram a oportunidade de responder às dúvidas da comunidade lusófona.

Questionado pelo Milénio Stadium se a Parada de Portugal podia beneficiar do novo programa de apoio a financiamento de festivais culturais recentemente criado, Tory disse que acreditava que sim, mas não avançou a verba específica que o festival pode receber. O Cultural Festivals Funding Program foi criado para apoiar a recuperação económica do setor da cultura e das artes que foi fortemente afetado pela pandemia de Covid-19. 

O autarca fez referência à elevada taxa de vacinação Covid-19 em Toronto e pediu aos residentes que conhecem pessoas que ainda não foram vacinadas para os ajudarem a convencer. Tory diz que a vacinação é fundamental para a recuperação económica da cidade e agradeceu aos 90% de residentes que já recebeu a primeira dose. A pensar nas pessoas da comunidade lusófona que têm dificuldade com o inglês, o município vai continuar a apostar em clínicas com voluntários que falam português. Bailão informou que todas as sextas-feiras até 4 de fevereiro o Joseph J. Piccininni Community Centre, na St. Clair e Lansdowne, vai estar aberto entre a 13H e as 17H30 para primeiras, segundas e terceiras doses e que não é necessário fazer marcação. 

Sobre o aumento de 2,9% no imposto sob a propriedade, o maior do mandato de Tory e que está a deixar muitos idosos da comunidade lusófona preocupados, o autarca admitiu que foi aconselhado a aumentar ainda mais, mas manteve a promessa de não ir acima da taxa de inflação. Bailão recordou que existe um programa específico para ajudar idosos e pessoas com deficiências que não podem pagar esta aumento. “O Property Tax Increase Cancellation Program ajuda muitos seniores no meu riding, portugueses e não só e cada ano temos mais beneficiários. O programa cancela o aumento dos impostos sobre a propriedade e a água para idosos que têm rendimentos anuais iguais ou inferiores a $45.000 ou que têm uma avaliação de propriedade residencial igual ou inferior a $975.000. O programa também é válido para pessoas que beneficiam do Ontario Disability Support Program (ODSP). Se têm dúvidas podem ligar para o meu escritório”, referiu. 

O processo de renomeação da Dundas Street que deverá custar mais de $6 milhões, segundo o autarca vai arrastar-se por cerca de dois anos e ainda é cedo para avançar com o valor que cada empresário vai receber para ajudar com as despesas que resultam da mudança de morada. Para  ajudar as pequenas empresas a regressarem mais fortes no Little Portugal e não só o município diminuiu o imposto predial em 15%. “Estou realmente focado em ajudar a cidade a recuperar-se da pandemia e isso significa colocar as pessoas de volta ao trabalho, atrair mais empresas para Toronto, recuperar as nossas finanças e ajudar os pequenos negócios, como restaurantes que têm estado encerrados durante tanto tempo. A redução do imposto predial vai ajudá-los a recuperar da pandemia”, salientou. 

Saúde mental; racismo; sem-abrigo; violência com armas, affordable housing; lutar pela flexibilização do sistema de imigração para permitir que pessoas com poucas habilitações académicas que são importantes para determinados sectores da economia de Toronto se fixem na cidade e creches mais acessíveis foram outras das preocupações que os portugueses transmitiram ao autarca e à vice-presidente. 

Sobre o assunto das creches que está na ordem do dia Tory garantiu que não ia negociar sozinho um acordo com Otava, até porque a província está numa fase bastante avançada do acordo. “Se avançasse sozinho ia criar dor e complicação. Compreendo o argumento do governo de Ontário, mas no final do próximo mês, mais tardar, teremos um acordo que vai beneficiar as famílias de Toronto e da província”, confirmou. 

Bailão que tem a seu cargo o pelouro do affordable housing na autarquia, afirmou que este problema tem de ser resolvido em conjunto com o governo federal e provincial e explicou que existem problemas de diferentes níveis no affordable housing que exigem diferentes soluções. 

A cidade a que quase 3 milhões de pessoas chamam casa tem um orçamento operacional de $14,9 mil milhões e está a projetar um déficit de $583 milhões. Para cobrir os custos relacionados com a pandemia Toronto vai receber dos governos federal e provincial cerca de $1,4 mil milhões, uma verba que apesar de tudo ainda não está assegurada. 

O teletrabalho e, por conseguinte, a diminuição dos passageiros na rede de transportes públicos da autarquia e a diminuição das receitas com estacionamento já causaram um grande rombo nos cofres do município, mas o problema deve manter-se em 2023. Segundo o município, as receitas neste setor devem cair entre $1,3 a $1,7 mil milhões. 

Citando o gestor da autarquia quando falava na apresentação do documento no início deste mês, “as receitas não vão voltar e os custos não vão desaparecer”.  Cerca de 40 pessoas participaram nesta discussão orçamental dirigida à comunidade lusófona e o orçamento deverá ser aprovado a 17 de fevereiro. 

Joana Leal/MS

Redes Sociais - Comentários

Artigos relacionados

Back to top button

 

Quer receber a edição semanal e as newsletters editoriais no seu e-mail?

 

Mais próximo. Mais dinâmico. Mais atual.
www.mileniostadium.com
O mesmo de sempre, mas melhor!

 

SUBSCREVER