BlogComunidade

Helen Filipe – Influenciar pelo exemplo

Helen Filipe foi uma das “influencers” destacadas pelo jornal Milénio Stadium e, muito recentemente, foi eleita presidente da Federação de Profissionais e Empresários Luso-Canadianos. Duas razões fortes para conversarmos com uma mulher que se tem dedicado, ao longo da sua vida profissional, ao ensino e à educação.

Ainda sem querer adiantar muito sobre o que será a sua ação enquanto nova presidente da Federação, Helen Filipe revela-nos estar focada em diversificar o exercício das suas funções, valorizando outras áreas profissionais, para lá das tradicionalmente associadas aos portugueses. Fala-nos ainda da sua intensa ligação a Portugal e à cultura portuguesa.

Milénio Stadium: A Helen Filipe foi uma das influencers escolhidas pela última edição do Milénio Stadium – não só pelo que faz de forma a influenciar a comunidade portuguesa, mas a comunidade que a rodeia de uma forma geral. O que representou para si essa indicação?
Helen Filipe: Fiquei bastante surpresa quando descobri que fui escolhida, uma vez que não me considero uma “influenciadora”. Ao mesmo tempo, fiquei honrada em ser selecionada, pois acredito ter acrescentado valor tanto para a comunidade luso-canadiana quanto para nossa comunidade em geral na sociedade. Sou abençoada e, no passado, fui distinguida pela Cidade de Mississauga pela minha “Liderança Comunitária” e, mais recentemente, fui agraciada com o prémio “Women of Inspiration – Raising the Bar” de 2021 pela Universal Women’s Network. Ser destacada na comunidade luso-canadiana tem um sabor extra especial por honrar a minha herança, cultura e língua.

 

milenio stadium - Helen+with+Azul+mug

MS: De que modo é que se relaciona a comunidade portuguesa?
HF: Nasci em Portugal, nas Caldas da Rainha, e fui criada em Atouguia da Baleia, Peniche. A minha família emigrou em 1974, depois mudou-se para Portugal durante toda a minha infância. Completei a maior parte dos meus estudos secundários na Escola Secundária de Peniche, e depois mudei-me permanentemente para o Canadá quando tinha 17 anos de idade. A mudança entre sistemas educacionais, a língua e as amizades custou-me caro, e tive saudades de casa (Portugal) durante os meus primeiros anos enquanto adulta. Concluí a minha graduação na Universidade de Toronto, e pouco depois conheci o meu marido como voluntário na comunidade luso-canadiana. Através de minha família, estava envolvida com o Peniche Community Club de Toronto. Mais tarde, exerci cargos de liderança na Federação Portuguesa de Estudantes, no Congresso Português Canadiano, na Portuguese Canadian Coalition for Better Education e fui membro do Conselho do Abrigo Centre durante seis anos como Chairperson. Estou muito orgulhosa de meu país natal, Portugal, ao mesmo tempo em que me fui sentindo realizada no meu país de residência, o Canadá.

MS: O que acha que pode ser feito para a afirmação de mais portugueses na sociedade canadiana?
HF: Para afirmar e fazer avançar a comunidade portuguesa no Canadá, é fundamental ser ativo na sociedade canadiana em geral. Não basta fazer a diferença na nossa diáspora portuguesa se não estivermos inseridos no avanço geral do Canadá. É a promover os nossos níveis de educação, destacando profissionais e comerciantes qualificados, elevando empresas de sucesso, elevando a nossa liderança de pensamento e inovação enquanto aumentamos o nosso envolvimento político, que podemos contribuir para uma sociedade canadiana próspera. Ao promover todas as qualidades acima mencionadas do povo luso-canadiano, seremos reconhecidos como uma comunidade forte e vibrante no Canadá.

MS: Quais são as marcas em que a Helen sente ainda o que é ser português no seu dia a dia?
HF: Faz parte do meu ADN, o meu compromisso de trabalhar afincadamente, a dedicação à minha família, determinação e resiliência para superar os obstáculos e desafios que me são lançados profissional e pessoalmente. A minha forte vontade e paixão pela justiça, a minha crença firme em fazer as pessoas saberem que nasci em Portugal e ser muito orgulhosa de minha língua, cultura e valores. Algumas pessoas descrevem-me como uma embaixadora do turismo de Portugal, uma vez que partilhei ativamente todo o meu amor por tudo o que é português e os encorajei a visitar Portugal em qualquer época do ano, desfrutar da fabulosa comida e tomar nota da simpatia e hospitalidade em todos os lugares onde possamos ir. Eu sou portuguesa e faço questão de o mostrar.

MS: Quais são os seus planos de futuro enquanto presidente da Federação?
HF: Como fui eleita há apenas uma semana, no 1º de junho de 2022, acho que é muito cedo para anunciar qualquer futuro sem uma transição completa da direção anterior e sem uma reunião com a nova direção reunida. Estou entusiasmada e confiante de que, como Presidente nos anos 2022-23, continuarei a avançar e a mostrar todas as conquistas daqueles que vieram antes de nós e abrir mais caminho com um Conselho 2021-2022 vibrante e entusiasmado. Sem dúvida, essa é a marca registada da Federação de Empresários e Profissionais Portugueses Canadianos, que é o mais antigo e maior programa de bolsas de estudo da comunidade portuguesa. Nosso próximo evento, vamos dar a conhecer os estudantes vencedores do concurso Portuguese Heritage Essay – será um evento maravilhoso para reunir jovens estudantes, as suas famílias, os nossos patrocinadores, e a direção que está de saída, assim como a direção que vai agora dar entrada. Temos a sorte de ter o apoio inabalável do Dr. Mendes do Consulado Português em Toronto, que será o anfitrião da celebração.

MS: Toda a sua vida esteve ligada à área da educação. A Federação tem tido um papel importante no estímulo da educação daqueles que fazem parte da nossa comunidade portuguesa – terá sido esse também um motivo para ter aceitado este cargo?
HF: Sim, minha carreira tem sido dedicada ao avanço da juventude e da educação. Completei o meu Bacharelado em Ética, Sociedade e Direito na Universidade de Toronto, e mais tarde obtive o meu Mestrado em Educação. Tive a oportunidade de trabalhar em algumas das principais escolas do Canadá, incluindo a Universidade de Toronto, ambos campus de St. George e Mississauga, Humber College, University of Guelph-Humber, Central Michigan University (EUA), bem como trabalhar em projetos com o Ministério da Educação e Treino, Cidadania e Imigração, e Desenvolvimento de Recursos Humanos do Canadá. O meu objetivo é o sucesso estudantil, já exerci funções como administrador, professor, staff de serviços estudantis, conselheira de carreira e emprego, treinadora e coach, colocação em cooperativas, admissões e aconselhamento académico. Em 2020, fundei a minha própria empresa, a Azul Education Services.

MS: Na sua opinião, por onde passará o futuro da comunidade portuguesa residente em Ontário?
HF: Sou uma otimista e acredito que a cada ano a nossa comunidade continua a avançar no nosso posicionamento no setor empresarial, comunidade educacional, clusters de pesquisa e inovação, indústria manufatureira e de serviços, setor industrial e de construção civil, indústria farmacêutica e de conceção médica. Uma das áreas em que não temos trabalhado o suficiente é precisamente em mostrar como temos profissionais e serviços portugueses em todas as áreas acima mencionadas. Se a comunidade colabora e destaca a jornada que muitos desses indivíduos encontraram, as suas lições aprendidas, o seu impacto em Ontário e o seu entusiasmo em partilhar que são portugueses, todos nós damos passos e saltos para o futuro. Também é importante enfatizar a necessidade urgente de ampliar a nossa compreensão da comunidade portuguesa para incluir todos os indivíduos de língua portuguesa, incluindo aqueles do Brasil, da África e espalhados pelo mundo. A minha esperança é que possamos fortalecer a nossa comunidade de língua portuguesa em Ontário.

Catarina Balça/MS

Redes Sociais - Comentários

Artigos relacionados

Não perca também
Close
Back to top button

 

Quer receber a edição semanal e as newsletters editoriais no seu e-mail?

 

Mais próximo. Mais dinâmico. Mais atual.
www.mileniostadium.com
O mesmo de sempre, mas melhor!

 

SUBSCREVER