Madeira

Polícia abate a tiro drone que sobrevoava a casa na Madeira

É mais um episódio de conflito originado pela utilização de aeronaves não tripuladas na Madeira. Um drone que sobrevoava o quintal de uma casa nas zonas altas de Gaula, no concelho de Santa Cruz, foi abatido a tiro por um morador, por sinal agente da Polícia de Segurança Pública (PSP). O caso motivou a troca de acusações e esteve em vias de ‘voar’ para os serviços do Ministério Público da Madeira.

O final de tarde do primeiro dia de Março terminou de forma atribulada na pacata localidade de Águas Mansas, bem no alto da freguesia de Gaula e próximo do perímetro florestal. A controvérsia começou quando um funcionário utilizou uma aeronave não tripulada para recolher imagens de um terreno tendo em vista um trabalho para uma empresa imobiliária.

Por azar, o drone sobrevoou o quintal da casa de um agente da PSP no preciso momento em que o morador desfrutava de um mergulho na piscina completamente nu. No início ficou atarantado com o zumbido de algo que se assemelhava a um enxame de abelhas mas depois percebeu que se tratava de um drone, com câmara incorporada, que sobrevoava o quintal da moradia.

Esta é um excerto da notícia que pode ler na íntegra e em exclusivo na edição impressa deste domingo. A legislação e o registo de aeronaves não tripuladas na Madeira são assuntos que o DIÁRIO desenvolve em duas páginas.

Redes Sociais - Comentários

Fonte
DN Madeira

Artigos relacionados

Back to top button

 

Quer receber a edição semanal e as newsletters editoriais no seu e-mail?

 

Mais próximo. Mais dinâmico. Mais atual.
www.mileniostadium.com
O mesmo de sempre, mas melhor!

 

SUBSCREVER