Açores

São Miguel entre os melhores destinos escolhidos pelos portugueses para férias

A ilha de S. Miguel está em 7.º lugar entre os 10 melhores destinos escolhidos pelos portugueses para passar férias este ano, enquanto a Terceira ficou em 17.º lugar.

A classificação é da autoria da plataforma Jetcost, que após um estudo efectuado no mercado coloca Lisboa, Porto, Faro e Madeira nos primeiros quatro lugares.

Os primeiros destinos portugueses classificaram-se à frente de outros locais, como Paris, Barcelona, São Paulo, Londres e Madrid.

Um representante da Jetcost afirmou que neste Verão os destinos domésticos “continuem a ser os preferidos” e mesmo em destinos mais distantes destacam-se “aqueles que foram antigas colónias portuguesas e onde o idioma é comum”.

 

Aeroporto de Ponta Delgada entre os piores em pontualidade

 

O aeroporto de Ponta Delgada classificou-se na 993.ª posição, entre 1.194 aeroportos, no mês de Agosto, em termos de pontualidade na tabela da empresa de informação estatística de aviação OAG divulgada ontem.

O aeroporto João Paulo II teve um registo de 62,8% em termos de pontualidade, em 3.356 voos.

Por sua vez, o aeroporto de Lisboa ficou no 21.o pior posto.

Depois de em Julho ter registado o 10o pior lugar, a infraestrutura da capital portuguesa registou no mês passado uma taxa de pontualidade de 40,3% em 10.017 voos, classificando-a na 21.ª pior posição (1.174 da geral entre 1.194). A taxa de cancelamentos foi de 1,1% em Lisboa.

O aeroporto do Porto classificou-se no 1.110.º posto, com uma pontualidade de 52,8% em 4.131 voos, enquanto o de Faro, em Agosto, seguiu na posição 939, com 65,6% de pontualidade em 3.356 voos.

Na Madeira, a infraestrutura do Funchal seguiu na 947 posição, com 65,3% de partidas sem atrasos e 1.006 voos durante Agosto.

A liderar esta tabela esteve a infraestrutura alemã de Saarbrueken, ao garantir 97,5% de pontualidade em 323 voos, enquanto no extremo opostos, em 1.194.º, seguia o aeroporto de Tunes, que registou 13,7% de partidas a horas num total de 2.539 voos.

Acentua-se o abrandamento do crescimento nos aeroportos

Os aeroportos portugueses tiveram 42,3 mil movimentos de aviões (aterragens e descolagens) com 5,92 milhões de passageiros durante o mês de Agosto, ‘pico’ da época alta do turismo em Portugal, de acordo com dados da concessionária ANA, subsidiária do grupo francês Vinci, a que o PressTUR teve acesso.

Esses dados mostram que apesar de se terem registado quedas em três dos aeroportos (Faro, Funchal e Porto Santo), o balanço do mês é um aumento médio em 4%, que representa um forte abrandamento face ao aumento médio em 9,1% nos 12 meses terminados em Agosto bem como ao aumento médio em 7,3% nos primeiros oito meses deste ano.

Ainda assim, são mais cerca de 228 mil passageiros que em Agosto de 2017.

Os dados a que o PressTUR teve acesso mostram que a maior fatia desse aumento registou-se em Lisboa, que teve mais cerca de 166 mil passageiros que em Agosto de 2017, embora o aumento mais forte tenha sido o verificado no Porto, em 9,6%, enquanto em Lisboa foi de 6,1%.

Assim, embora declarado ‘esgotado’ o Aeroporto de Lisboa somou o recorde de 2,89 milhões de passageiros este Agosto, o que equivale a 48,9% do total dos dez aeroportos portugueses geridos pela ANA, acima os 47,9% de Agosto de 2017.

O Porto, com 1,218 milhões de passageiros, mais cerca de 106 mil que há um ano, aumentou a participação no total da ANA de 19,5% para 20,6%, enquanto Faro baixou de 21,2% para 19,5% e a Madeira baixou de 5,6% para 5,4%.

Para os aeroportos açorianos, os dados a que o PressTUR teve acesso indicam que o Aeroporto João Paulo II, em Ponta Delgada, o maior da região, teve um aumento de passageiros em 5,7% ou cerca de 23 mil, somando 245,9 mil (4,2% do total da ANA, que compara com 4,1% há um ano).

O Aeroporto da Horta teve 38,5 mil passageiros este Agosto, +0,1% que há um ano, as Flores teve 12,2 mil, em alta de 14,8%, e Santa Maria teve 12 mil, com um ligeiro aumento em 0,7%.

O Aeroporto de Beja, apesar de se ter tornado a alternativa para algumas operações charter não chegou a 900 passageiros em Agosto, tendo ficado em 853.

Polémica com os limites de vento no aeroporto do Funchal

O presidente da Autoridade Nacional da Aviação Civil (ANAC) considera que a revisão dos limites dos ventos no Aeroporto da Madeira nunca obedecerá a critérios políticos, mas científicos, para segurança dos passageiros e das tripulações dos aviões.

“A solução será completamente científica e não política, e nem pode ser, está claramente fora de questão”, disse Luís Silva Ribeiro.

No seu entender, o que é necessário garantir “é que a segurança de um qualquer passageiro que embarque num avião para aterrar no Funchal, ou para aterrar em Lisboa, ou para aterrar em qualquer outro aeroporto europeu é a mesma”.

“Não podemos ter aeroportos mais seguros e aeroportos menos seguros”, acrescentou.

Luís Silva Ribeiro comentava assim a resolução aprovada na sessão plenária da Assembleia Legislativa da Madeira em 5 de Julho, já publicada no Diário da República e no Jornal Oficial da Re- gião Autónoma da Madeira, sobre os limites de vento no Aeroporto da Madeira – Cristiano Ronaldo.

A resolução insta a ANAC a “converter de imediato” os actuais limites de vento para as operações aéreas neste aeroporto, alterando-os de “obrigatórios/mandatórios”, com carácter sancionatório, para “recomendações/ alertas”.

O documento pede ao regulador para “decidir, no prazo de um ano, sobre a revisão dos limites de vento para as operações aéreas no Aeroporto da Madeira – Cristiano Ronaldo”.

Redes Sociais - Comentários

Artigos relacionados

Back to top button

 

Quer receber a edição semanal e as newsletters editoriais no seu e-mail?

 

Mais próximo. Mais dinâmico. Mais atual.
www.mileniostadium.com
O mesmo de sempre, mas melhor!

 

SUBSCREVER