Açores

RTP-Açores estreia novos programas

A RTP Açores estreou Domingo o programa “Histórias da Terra e da Gente”, da autoria do jornalista Vasco Pernes e do repórter de imagem Rui Machado.

O programa, semanal, ao Domingo, às 20h40, releva o conceito de proximidade. Porque em cada ilha há tantas histórias impostas pela singularidade de cada terra. O quotidiano vive-se ao ritmo de cada lugar com dinâmicas diferentes. Em Maio, na primeira quinzena, a televisão pública dos Açores volta a apostar nas diversas vertentes da cultura, à quinta- feira, depois do Telejornal, com o programa “Cultura Açores”, com entrevistas e reportagens sobre a actualidade cultural açoriana.

“Cultura Açores”, apresentado por Tatiana Ourique, será produzido na delegação da Terceira. Os principais acontecimentos culturais na Região também passam a ter uma agenda semanal na RTP Açores. “1ª Fila”, com textos e voz de Graça Moniz, estreia a 8 de Maio.

É um magazine cultural que destaca o que vai acontecer nos Açores no universo da Cultura. O programa será produzido na delegação do Faial. Maio será também o “mês do Blues” na RTP Açores, com a transmissão de um concerto por dia das bandas que participaram no Europeu de Blues que decorreu, em Abril, em Ponta Delgada.

Na rádio, a Antena 1 Açores começar a emitir, em Maio, programas em formato “Visual Rádio”, acompanhando, assim, as novas tendências de comunicação e difusão através das plataformas digitais com imagem. O sistema de realização e emissão de vídeo com ligação às redes sociais permite, a quem conduz a emissão da Antena 1 Açores, iniciar de forma imediata a emissão de vídeo “ao vivo”, em qualquer momento. Sobre o novo programa estreado no Domingo, falamos com o jornalista Vasco Pernes.

“Histórias da Terra e da Gente” pretende ser um retrato das nossas gentes nas nossas ilhas?

Nos dias que correm, e correm cada vez mais depressa, precisamos ter tempo. Tempo para escutar. O programa pretende ser apenas isso, um espaço onde se contam Histórias. As nossas gentes e as suas histórias os lugares onde vivem são o nosso trunfo. Através de cada protagonista queremos que os espectadores se revejam aqui e ali num lugar, numa frase numa expressão. As ilhas, todas as ilhas estão la como cenário e muitas vezes são elas a história. O “Histórias da Terra e da Gente” será um retrato diferente. Um olhar. O nosso olhar. Nos lugares mais recônditos das nossas ilhas encontramos sempre uma pessoa com uma história de sabedoria para contar.

É este o segredo do novo programa?

A sabedoria das pessoas mais simples das nossas freguesias, a cultura popular e tradicionais as pronúncias de cada lugar aliado ao que as novas gerações de pessoas que vivem os Açores como a sua terra estão a criar, da agricultura ao turismo, passando pelas artes, são segredos que queremos ir desvendando. Um velho baleeiro ou um jovem produtor de mel, contam histórias diferentes mas com o mesmo ADN, Açores!

Quais as histórias e as pessoas que mais te surpreenderam durante a produção?

Acredito que a melhor história será sempre a próxima. Estamos a gravar o fim da primeira de duas rondas pelas nossas ilhas, o entusiasmo sobre o que se vai passar na próxima freguesia, na próxima ilha continuam a ser a maior surpresa. Até agora todas as reportagens me trouxeram momentos inesquecíveis e de grande aprendizagem. Não consigo escolher… Contar uma história em televisão não é fácil, porque dependes também da imagem.

Ter um bom repórter de imagem ajuda?

Este programa parte de uma ideia minha com o Rui Machado, o operador que faz comigo todo o programa. Trabalhamos juntos há muitos anos e trata-se de um grande profissional de imagem que sabe interpretar as minhas ideias e conversas com os convidados captando as imagens fundamentais para me facilitar o processo de “Contar” a história. Escrevo para as imagens e o resultado final reflecte isso mesmo. Uma equipa que funciona. Há muitas histórias por descobrir por estas ilhas fora.

É esta a função da televisão açoriana?

Temos o que mais ninguém tem. Temos o privilégio único de aqui viver. Temos a obrigação de não copiar o “mau” que outros fazem, quando sabemos que quem aqui vive, quem nos visita e principalmente o nosso maior activo (os Açorianos na diáspora), querem Açores na sua televisão. A informação e a formação serão sempre a base da nossa identidade enquanto canal. A cultura e o entretenimento são fundamentais desde que genuínas e nossas. A RTP-Açores não tem que competir por audiências, tem de as merecer e fazer por ser verdadeiro serviço publico ao serviço dos Açorianos.

Qual o próximo projecto?

Estamos a ponderar com a Direcção da RTP-Açores avançar com uma segunda série de programas que possam contribuir para aprofundar as estratégias de proximidade entre os açorianos que vivem nos Açores e nos diversos países da nossa diáspora. No entanto, o “Histórias da Terra e da Gente” tem transmissão programada até Outubro.

Redes Sociais - Comentários

Fonte
Diário dos Açores

Artigos relacionados

Back to top button

 

Quer receber a edição semanal e as newsletters editoriais no seu e-mail?

 

Mais próximo. Mais dinâmico. Mais atual.
www.mileniostadium.com
O mesmo de sempre, mas melhor!

 

SUBSCREVER