Açores

Governo dos Açores interessado em “boa cooperação” entre TAP e SATA

MILENIO STADIUM - acores governo

 

O presidente do Governo dos Açores afirmou ser do “interesse da autonomia”, e no quadro da “independência” da TAP e SATA, haver uma “boa cooperação” entre as companhias aéreas nacional e regional.

“A benefício, no interesse da autonomia e com respeito da independência das duas empresas, para cumprir um desiderato nacional e de interesse para os Açores, existe a oportunidade de uma boa cooperação entre ambas nas rotas e serviço expetável para a mobilidade turística e territorial”, declarou José Manuel Bolieiro.

O líder do executivo açoriano (PSD/CDS-PP/PPM) recebeu, em audiência, na residência oficial em Ponta Delgada, o presidente do Conselho de Administração da TAP, Manuel Beja, tendo frisado que está “absolutamente em aberto” para se trabalhar em soluções de viabilização de ambas as transportadoras aéreas.

José Manuel Bolieiro deixou “bem claro” que não interferirá, enquanto Governo, na gestão profissional e independente, “por exemplo, da SATA”, sendo o seu conselho de administração “absolutamente conhecedor, merecedor de confiança, de autonomia e respeito máximo.

Bolieiro é contra “qualquer interferência política do Governo na gestão” da companhia aérea açoriana.

“Uma coisa é o Governo Regional entender a importância estratégica das empresas, deste negócio e de obrigações de serviço público que correspondem à materialização e densificação dos princípios da continuidade territorial. Outra, é a intromissão geradora de ineficiência e de risco de insolvabilidade e de sustentabilidade das empresas”, frisou o chefe do executivo.

O novo presidente do Conselho de Administração da TAP, recentemente em funções, considerou, quando questionado pelos jornalistas, que “as parcerias [entre ambas as operadoras] existem” e “podem ser mantidas e reforçadas”.

De acordo com o responsável, há um ‘code-share’ em vigor com a SATA, uma “parceira na operação que se faz entre o continente e os Açores”.

Manuel Beja afirmou ser “claramente precoce” falar de entendimentos para além dos existentes entre a TAP e SATA.

O presidente da operadora nacional disse, em relação aos reembolsos dos bilhetes da TAP, na sequência da pandemia da Covid-19, que “o processo genericamente não está finalizado, mas a TAP está a fazer todos os seus esforços” para o fazer “com a brevidade possível”.

Tanto a TAP como a SATA encontraram-se em negociações com a Comissão Europeia visando a sua reestruturação financeira, situação anterior à pandemia da covid-19 e agravada por essa.

A Comissão Europeia reconheceu a importância de o Estado português salvar a TAP, mas receia que o auxílio de 3.200 milhões à reestruturação viole as regras de concorrência e duvida que o mesmo garanta de vez a viabilidade da companhia.

As observações e inquietações de Bruxelas constam de uma carta enviada pela comissária da Concorrência, Margrethe Vestager, às autoridades portuguesas, datada de 16 de julho passado, data em que a Comissão Europeia anunciou uma investigação ao auxílio estatal de 3.200 milhões à reestruturação da TAP, e entretanto publicada na ‘site’ do executivo comunitário, após eliminada a informação considerada confidencial.

AO/MS

Redes Sociais - Comentários

Artigos relacionados

Back to top button

 

Quer receber a edição semanal e as newsletters editoriais no seu e-mail?

 

Mais próximo. Mais dinâmico. Mais atual.
www.mileniostadium.com
O mesmo de sempre, mas melhor!

 

SUBSCREVER